Conto Erótico vi minha mãe e irmã serem abusadas na minha frente

CONTO ERÓTICO NÃO SE REFERE A NEM UM PERSONAGEM REAL E FORA RETIRADO DA INTERNET

Olá me chamo ricardo e agora tenho 19 anos, na época do ocorrido 11 e minha mãe 31 anos. Moravamos no interior do Paraná em um local Semi-Rural não digo completamente rural pois possuia mercado e farmacia na localidade, mas a maioria das casas possuíam plantação e criação próprias. Estou a contar esse acontecimento agora pois fiquei 8 anos longe de minha mãe junto com a minha irmã, devido a esse incidente e fui morar na casa de tios enquanto minha mãe passava por tratamento psicológico. Faz um ano que voltei a morar com minha mãe parece que o assunto nunca existiu e ninguém ousa tocar nele de novo, no começo foi um pouco estranho mas agora ja se acostumamos novamente. por incrível e perveso que pareça eu sinto um certo tesão em minha mãe agora e as vezes me paro cheirando suas calcinhas fio dental e tocando uma com elas enroladas no meu pau e ai gozo pensando que aquela calcinha de putinha fica o dia todo entre a bucetinha e o cuzinho da minha mãe. Mas deixando isso de lado vamos ao acontecido do passado.

Casada parecida - ilustrativa
Casada parecida – ilustrativa

Nós estávamos reformando nossa cozinha pois meu pai conseguiu um valor adiantado da colheita na fazenda do meu tiu, nós chamamos 2 pedreiros pois da ultima vez que minha família havia tentando fazer a obra sozinha ficou uma porcaria, dessa vez minha mãe mandou meu pai contratar pedreiros para fazer o serviço. naquele dia meu pai havia saído bem cedinho as 05:00 para voltar a colher e talvez chegasse só de madrugada ou na manhã seguinte como de costume. 1 dos pedreiros havia faltado e ficou apenas o mais velho que deveria ter uns 40 e poucos anos ele era forte com braços grossos e corpo magro com mãos calejadas do trabalho duro moreno e alto com 1,80 poucos por ai. também tinha uma cara de mal, mas por incrível que pareça sempre sorria e ficava fazendo piadas, inclusive meu pai havia convidado ele pro churrasco uns dias atrás na nossa casa pois fez amizade com o mesmo.

Minha mãe estava na cozinha improvisada ainda fazendo almoço eram cerca de 11hrs e eu não ia a aula pois estava gripado e doente, o dia estava chato com aquela garoa interminavel. Minha irmã de 14 havia ido para a aula de manhã cedo e voltava só a tarde lá por 15:30 / 16:00hrs pois almoçava no colégio que era de freiras e a tarde tinha curso de inglês. As memorias desse dia ficaram gravadas na minha mente como uma tatuagem, talvez tenha esquecido algumas coisas alguns detalhes mas a maioria é como se tivesse acontecido hoje, acho que é devido a eu relembrar todo o santo dia por 9 anos desse fato. Lembro de minha mãe vestindo aquele dia uma calça Jeans azul claro apertada e uma blusinha mais nova (acho que era devido a ter “visita” ela se arrumou um pouco mais, mas nem tanto), chinelo de dedo e cabelo preso, como uma dona de casa qualquer. Em relação ao corpo dela pelo que lembro ela era até mais bonita que hoje, loira natural coxas grossas e bunda e peitos grandes, baixinha cerca de 1,55 de altura e também na época n era gordinha, tinha um corpo normal devido ao trabalho pesado na horta e criação que dividia com meu pai, porém na época de colheita fazia tudo sozinha e as vezes com minha ajuda e da minha irmã;

Minha mãe me chamou 11:30 para levantar da cama e se arrumar pra almoçar pois estava quase pronto. Ela avisou o pedreiro que estava quase pronto, nisso eu me sentei na mesa e ele pediu uma faca para minha mãe pois tinha que cortar um fio e não achava estilete, ela alcansou uma faca de serrinha, ele disse q n tinha que ser uma maior pois a corda era mais grossa, ela deu a ele então a faca de carne. Então ela se virou de costas para o fogão e nisso o pedreiro pegou ela por trás pelos cabelos encoxando ela e com a fava no pescoço, minha mãe ficou sem reação e eu também, mas acabei tentado ir salvar minha mãe, ele apenas largou a faca na pia e ainda segurando minha mãe pelos cabelos ele me deu uns 2 ou 3 socos na cara e eu cai desorientado, n me lembro muito dessa parte mas minha mãe tentou me ajudar e levou um tapa caiu e ele deve ter batido mais um pouco nela. Lembro dela no chão e ele por cima com a mão dentro da calça esfregando na buceta e a blusa dela rasgada com um peito pra fora do sutiã, miha mãe chorava e se debatia ele deu mais um tapa nela pegou a faca e veio em minha direção botou a faca na minha bochecha e pressionou ela até sair um pouco de sangue, ele falou então pra ela:

– Olha sua vagabunda ou eu vou matar você e seu filho, se tu não fizer oque eu mandar.

Minha mãe falava

– Não por favor vamo conversar, para com isso, por favor!!

— Cala boca PUTA e pega a cachaça que do teu marido corno que ta em cima do balcão, serve doi copo bem cheio!!

Ele mandou ela alcançar um pra ele enquanto ele me segurava ainda ele tomou uns 3 goles, e mandou minha mãe beber o resto e o outro copo, minha mãe falou que não bebia e que era muito forte pra ela, ele disse:

— Bebe essa porra toda ou eu vou enfiar essa faca dentro to teu CU E RASGAR SUA PUTA!

Ela bebeu meio copo, vomitou e ele mandou servir de novo e fez ela beber, ela deve ter demorado uns 20minutos pra conseguir beber tudo, mas bebeu.

— Ta sua puta agora pega o óleo de cozinha haha, TU SABE PRA QUE O ÓLEO DE COZINHA NE SUA PUTINHA, É PRO PAU DO NEGÃO ENTRAR MAIS FACIL NESSA BUNDINHA HAHAHA!

Ele pegou uma corda me amarrou no pé da mesa e mandou minha mãe ligar uma musica no som bem alta. (Hoje eu diria que ele ja tinha feito isso alguma vez ou planejou muito porque sabia de tudo). pegou minha mãe pelo cabelo e foi levando ela até a mesa e abaixou a calça dela com dificuldade pois como eles mesmo dizia ela era uma loira rabuda. eu pude ver que minha mãe usava uma calcinha preta grande até, mas que sumia na bunda dela por ela ser rabuda. ele ergueu ela em cima da mesa e deve ter posto a boca na buceta dela pois eu n conseguia mais ver direito só ouvia em meio ao choro da minha mãe e a musica alta os estalos dele chupando.

comendo buceta da mãe em cima da mesa
comendo buceta da mãe em cima da mesa (ilustrativo)

minha mãe continuava chorando e falando na frente do meu filho não, ele só mandava ela calar a boca e abrir mais as pernas. Ele pegou então o óleo de cozinha passou na bocetinha dela e possicionou ela de uma forma que a bunda dela ficasse em cima da mesa com eu amarrado em baixo ela continuava chorando bem alto mas a musica abafava um pouco. Então eu vi ele tirando o pau de dentro do calçao e posicionou na entrada da buceta da minha mãe e segurou as duas pernas dela com a mão e começou a meter o pau na buceta dela, eu conseguia ver aquele saco em cima de mim batendo contra a bunda da minha mãe e o pau entrando na buceta dela.

comendo buceta da mãe em cima da mesa
comendo buceta da mãe em cima da mesa (ilustrativo)

Ele ainda dizia “Nossa que bocetinha apertada o corno não fode? ta tão quentinha e a aconchegante, ainda ta meio raspadinha, sabia que eu ia te fuder hoje putinha?” Minha mãe aos prantos e soluçando, ele voltou a dizer “CHORA, CHORA MESMO VADIA tu vai chorar mais depois. Tu vai ver oque eu vou fazer com tua filha quando ela chegar da escola. quero rachar aquela bucetinha e o cuzinho em dois, se a buceta da mãe ja é assim imagine a dela”. Minha mãe tem um surto de raiva, chora e grita, ele da mais uns tapas nela e depois pega a calcinha e enfia na boca dela pra ela parar de berrar, ele fodeu ela desse jeito por mais uns 15 minutos minutos, sempre xingando e provocando ela falando da minha irmã.

comendo buceta da mãe em cima da mesa (ilustrativo)
comendo buceta da mãe em cima da mesa (ilustrativo)

Depois de um tempo ele tirou o pau pra fora e olhou pra mim, eu vi um creme branco no pau dele e ele perguntou:

— Sabe oque é isso moleque? É creminho de buceta, isso daqui num pãozinho deve ser uma delicia!!

Eu ainda estava atordoado chorando baixo, machucado meu olho esquerdo n enxergava direito estava inchado e doendo, ele pegou um pedaço de pão na cesta e passou envolta do pau e da buceta da minha mãe e me fez mastigar a força. (Na época quase vomitei, hoje em dia tenho vontade de provar isso de novo). O Mais estranho na época para mim foi que minha mãe n se movia mais, não resistia mais, só soluçava baixinho. Talvez pelo choque ou pelo alcóol pesado que ela ingeriu e estava fazendo efeito. Ele então pegou ela pelos cabelos e tirou de cima da mesa e botou deitada de barriga pra baixo na minha frente, com aquela bunda branca enorme e macia, então ele abriu um pouco as pernas dela e então apareceu tudo, eu conseguia ver sua buceta seu cuzinho tudo, foi choque nunca havia visto nem uma buceta ou cu na minha frente de forma tão nitida, era excitante, eufórico, mas errado pois era minha mãe.

essa era a visão da bunda da minha mãe
essa era a visão que eu tinha da bunda da minha mãe

Eram duas nadegas gigantes lisinhas e brancas com um cuzinho apertadinho que piscava sem parar e mais abaixo aquela buceta meio aberta melada de ser usada. Cada vez que ele tocava naquela bunda ela se mexia feito uma gelatina. Então ele caiu de boa no meio da bunda dela lambia seu cuzinho, minha vizão agora se voltou para ele de quatro com aquele cu e saco peludos com aquela jeba gigante dependurada meio mole, tudo isso a poucos centímetros da minha cara, eu conseguia sentir o cheiro de sexo e suor que saia daquele pau melado com a buceta da minha mãe. Ele mexia naquela bunda como se quisesse entrar de cara dentro dela, ele então se sentou nas costas da minha mãe virado de frente para eu e abrindo a bunda dela e me mostrava seu cuzinho e buceta, ele falava “Quer experimentar? bucetinha ou cuzinho?” o da ” Sua irmã sera que é melhor? Sera que ela raspa a xoxotinha e o cuzinho que nem sua mãe?”.

buceta da mãe
buceta da mãe

Ele começou a dedar a buceta da minha mãe e em meio aquela musica toda dava pra ouvir ela gemendo baixinho, ele percebeu isso pegou pelos cabelos e botou de quatro e ela ficou toda meio molenga, mas ficou minha mãe parecia em outro planeta, parecia que tinha fumado uns 10 baseados pela primeira vez. Ele então ele falava “não precisa nem de esforço” “Tu ta amando esse meu pau né sua vagabunda, cadela, parece até acostumada a ser estuprada!!” “Teu papai te comia qnd pequena é? Se eu tivesse uma filha que nem a sua com aquela bundinha redondinha eu ia fuder ela todo dia. Toda vez que ela chegasse da escola eu ja ia tar de pau duro, ia mandar ela ficar de quatro na cozinha abaixar aquela legg dela e socar tudinho dentro da vadia , ela ia virar meu deposito de porra” 

socando na buceta da mãe ilustrativo
socando na buceta da mãe ilustrativo

“Mas não precisa se preocupar você vai dar um irmãozinho pra sua filha, e ela vai te dar um netinho hoje ainda quando eu encher a bocetinha dela de porra!” “Ai volto quando sentirem saudades pra fuder mais vcs!”

comendo buceta da mãe
comendo buceta da mãe

Ele continuou metendo forte nela de quatro e minha mãe sem reagir, parecia uma boneca de pano levando rola. Ele largou os cabelos dela e deu uma deda no cu dela, eu acho que foi a seco, aquilo despertou minha mãe do transe que ela estava e ela voltou a pedir pra parar enquanto chorava, quanto mais ela chorava mais ele bombava na buceta dela, ela até tentava sair, mas agora sem muitas forças sobrando. Ele segurava ela pela cintura e socava na cintura, dava pra ouvir o barulho do saco dele batendo na bunda da minha mãe! Ele então cansou, soltou ela, e num ato de furtividade minha mãe tentou levantar cambaleado e caiu, ela levou dois tapas na cara. Ele voltou e pegou a garrafa de cachaça segurou a boca dela até ela abrir e despejou mais um pouco até ela engolir mais algumas vezes. Largou a garrafa e começou a rasgar a blusa dela.

rasgando a blusa da putinha
rasgando a blusa da putinha

 puxou o sutiã para baixo e revelou aqueles peitões grandes e gostosos. Ele pegou então o resto da blusa e amarrou os braços da minha mãe pela frente, deu mais um gole de cachaça pra ela e tapou a boca dela com a calcinha. botou ela de quatro de novo, mas dessa vez perto da minha cara, com uma mão ele segurava o quadril da minha mãe e com a outra a minha cabeça, forçou a minha cara direto na bunda da minha mãe, eu sentia o cheiro forte vindo da buceta dela ele esfregava com força minha cara entre o rabo dela e confesso que botei a pontinha da linguá pra fora para sentir um pouquinho do gostinho dela me senti excitado com aquele gosto e cheiros vindo de uma buceta, algo q eu n conhecia, que só tocava uma pensando nas atriz da novela das 20:00. Ele tirou a minha cara da buceta dela e perguntou “Gostou muleque?” “Gostinho da bucetinha da tua mãe?” ai então ele perguntou “TU É MUDO? OU RETARDADO POR ACASO, NÃO FALA NADA?”. na verdade eu não queria falar nada, não tinha oque falar (Médicos disseram que foi pelo trauma eu fiquei com essa mudes por 2 anos, na vdd eu conseguia falar mas n queria, era um escape).

Então ele afastou minha mãe pelos cabelos botou ela no chão de bruços, pegou oléo de cozinha e lambuzou o cu dela, posicionou o pau na entrada do cuzinho e foi enfiado sem dó  no cuzinho dela até entrar tudo na bundinha dela. Minha mãe gemia de dor e ele continuava bombando no cu dela cada vez mais forte eu via a bunda dela balançar cada vez que ele metia até o talo com ele falando: “AGORA SIM EM!! QUE CUZINHO DELICIOSO” “ISSO VADIA AGASALHA MEU PAU COM ESSE CUZINHO APERTADINHO!”  

comendo cuzinho da putinha
comendo cuzinho da putinha

Ele continuava metendo até as bolas dentro da bunda da minha mãe com aquele pau que devia ter uns 20cm grosso, que como quem monta um touro ele montava na minha mãe.

— Viu sua puta é assim que se come um cu, empina essa sua BUNDA VADIA, SUA COLONA VAGABUNDA, TU E TUA FILHA FORAM FEITAS SOB MEDIDA PRO MEU PAU!!

comendo cu da mãe
comendo cu da mãe

Ele então pegou ela pelos quadris e fez empinar a bunda aproximando um pouco mais de mim, deixou a bundinha dela empinadinha e socou o pau grosso dele inteirinho dentro daquele rabo branco, a cada estocada parecia sumir dentro da bunda dela que engolia o pau como se tivesse vida própria, aquela visão era maravilhosa mas errada, mesmo assim eu ainda fiquei de pau duro vendo minha mãe sendo arrombada no cu por um pedreiro.

socando com força
socando com força

Ele socou mais um tempo no cuzinho dela daquele jeito e falou “AHhh VOU TER QUE GOZAR, QUERIA NO CUZINHO MAS NO CUZINHO NÃO ENGRAVIDA!” Ele pegou virou ela de barriga pra cima e fez a posição frango assado e enfiou o pau dentro da bocetinha da minha mãe até o talo e continuou bombando e socando com força e rapido pra terminar de gozar. Até que ele parou de fazer os movimentos e com o pau atolado bem la no fundo da buceta dela ele gozou tudo dentro e ainda falou “TOMA LEITINHO NESSA BUCETINHA BRANQUINHA, PORRA AINDA CONTINUA APERTADINHA”.

bucetinha gozada

Aquela porra escorria pra fora da buceta e ele ainda bombou mais um pouco mesmo gozadando. Depois tirou o pau pra fora e escorreu aquela porra branca e liquida, parecia que não gozava a uma semana, se fosse hoje diria que foi um cavalo que gozou dentro da minha mãe. Ele ainda terminou falando: “VOCÊ VAI DAR UM IRMÃOZINHO PROS SEUS FILHOS SUA PUTINHA DELICIOSA, MAS TAMBÉM VAI GANHAR UM NETINHO DAQUI A POUCO!”

buceta gozada

Minha mãe já estava apagada por causa do álcool e ficou la dormindo com porra escorrendo da buceta, enquanto o pedreiro abria a geladeira pra comer algo.

FIM PARTE 1

COMENTEM SE GOSTARAM

filha gostosa dando cu e bucetinha rosinha novinha safada fodendo
filha gostosa dando cu e bucetinha rosinha novinha safada fodendo
mae rabuda filha bucetinha molhada dando cu de quatro
mae rabuda filha bucetinha molhada dando cu de quatro
mae rabuda novinha dando cu e bucetinha levando gozada escorrendo pela buceta
mae rabuda novinha dando cu e bucetinha levando gozada escorrendo pela buceta
mae peituda fodendo e dando a buceta mãe gostosa
mae peituda fodendo e dando a buceta mãe gostosa
mãe peituda dando a buceta fodendo e levando gozada no cu bunda grande
mãe peituda dando a buceta fodendo e levando gozada no cu bunda grande

related post